bc4446433b2761bec97ad79c8860a9dd

A Maratona de Dallas de 2017, acontecida no dia 11 de dezembro, ficará marcada como uma das mais emocionantes da sua História de mais de 46 anos. Isso porque as atletas Chandler Self e Ariana Luterman protagonizaram uma cena raramente vista em esportes tão competitivos como o atletismo.

Chandler liderava com folga a prova até o quilômetro 39, quando suas pernas começaram a falhar. Dois quilômetros depois a moça caiu em pista, totalmente esgotada pelo esforço que vinha sendo feito até então. Esse foi o momento em que Ariana se aproximou.

Ariana tinha a pista livre até a linha de chegada à sua frente, já que a única competidora mais rápida do que ela estava no chão. Entretanto, em vez de dar os últimos passos rumo à vitória, Ariana esforçou-se para levantar e carregar Chandler na reta final.

“Creio que comecei a delirar no final, não sabia o que estava acontecendo”, declarou Chandler. Ela ainda voltou a cair, mas foi reerguida por Ariana, como pode ser visto no vídeo abaixo.

Ao fim do dia, Chandler havia conseguido o segundo lugar, mas Ariana era tratada pela imprensa mundial como a vencedora da 48ª edição de uma das corridas americanas mais tradicionais.

Justiça no dia a dia

Ariana Luterman declarou à imprensa que nem sequer passou por sua cabeça a ideia de seguir em frente e ganhar a corrida. “A única coisa que me ocorreu foi socorrê-la”, declarou. “De maneira alguma iria correr e deixá-la assim”.

De acordo com a competidora, não seria justo tirar vantagem de uma fraqueza momentânea de sua concorrente para alcançar a vitória, ainda que essa parecesse, para muitos, a melhor atitude a ser tomada.

Responda sinceramente: quantas vezes você já viu alguém fraquejar e outra pessoa tirar proveito da situação para se engrandecer? Quantas vezes você mesmo fez isso?

Infelizmente, em nossa sociedade, o mais comum é ver as pessoas aproveitando quedas para transformar os outros em degraus. Mas essa não é a orientação bíblica.

 Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará Gálatas 6.7

Para o bispo Renato Cardoso, essa passagem ilustra a justiça divina, que jamais é falha, diferentemente da do homem.

Quem comete injustiça conscientemente semeia as lágrimas que chorará quando for injustiçado amanhã. Esta é uma lei universal da vida. Tudo o que vai, vem. O que você faz a outros, volta para você”, afirma ele. “Observe essa lei em ação ao seu redor. Não há juiz, nem corte, nem força policial que a impõe ou a faz cumprir. Porém, ela está em ação em todos. Você pode vê-la quando estuda a História. Você pode vê-la em sua vida. Há um poder maior que faz com que ela se aplique.”

Muitas pessoas, no momento em que estão cometendo injustiças, especialmente aquelas que trazem benefícios imediatos, acreditam que jamais serão descobertas. Conforme o bispo explica, elas pensam: “Você vai se safar. Ninguém vai saber. Você pode. Azar de quem não pode.”

Ariana poderia ter tido exatamente esse pensamento, mas deu a vitória a quem verdadeiramente a merecia. A admiração do mundo inteiro por ela é parte da recompensa que ela angariará por seus atos.

Como afirma o bispo Renato Cardoso, “a melhor alternativa é ser justo, sempre, não importa o custo, ainda que aparentemente você sairá perdendo.”

E você, tem sido justo em seu dia a dia? Reflita e compartilhe sua história nos comentários. Depois, repasse o bom exemplo de Ariana compartilhando essa matéria em suas redes sociais.

Fonte

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>